Meditação do Dia
Sábado, 01 de Agosto de 2015
Livres da culpa

A nossa adicção escravizou-nos. Estávamos prisioneiros da nossa própria mente e condenados pelos nossos próprios sentimentos de culpa." Texto Básico, p. 8



A culpa é um dos obstáculos mais comuns em recuperação. Uma das formas mais notórias de culpa é o ódio por nós próprios, resultante de tentarmos perdoar a nós próprios e de não nos sentirmos perdoados. Como é que podemos perdoar-nos a nós próprios e senti-lo? Primeiro, lembramo-nos de que a culpa e os nossos erros não são elos de uma cadeia inquebrável. Quando partilhamos honestamente com um padrinho ou madrinha, ou com outros adictos, vemos que isso é verdade. O resultado dessas partilhas é geralmente uma percepção mais realista do nosso papel nos nossos assuntos. Por vezes vemos que colocámos expectativas demasiado altas. Em vez de darmos ênfase aos problemas, cresce a nossa vontade de participar nas soluções. Surge uma altura em que descobrimos quem realmente somos. Costumamos descobrir que não somos nem os seres totalmente perfeitos, nem os totalmente imperfeitos, que imaginávamos ser. Não precisamos de exceder nem de ficar aquém das nossas ilusões; precisamos apenas viver na realidade.


Só por hoje: Sinto-me grato pelas minhas qualidades e aceito as minhas limitações. Através da boa-vontade e da humildade, sinto-me liberto para progredir na minha recuperação e me ver livre dos sentimentos de culpa.

<< início <<


© Só por hoje - Meditações diárias para adictos em recuperação
ISBN 1-55776-426-3 Portuguese 2/03
Associação Portuguesa de Narcóticos Anónimos
Copyright (c) 2003, NA World Services, Inc. Reprinted by permission. All rights reserved